0

A Grège

A Grège

 

Nós aqui da Grège não somos apenas uma marca de roupas femininas que tem valores sustentáveis e preza pelo artesanal, somos também uma incentivadora, fomentadora e, representante de novos talentos e designers.

O nome Grège que significa o fio da seda em seu estado natural, foi escolhido porque não só é uma referência a principal matéria prima utilizada pela marca, a seda, como também é uma alusão a todo trabalho desenvolvido pela empresa, desde o processo criativo, a escolha de materiais e a mão de obra, que é sempre permeado pelo conceito de unir o moderno e natural, o belo e o ser.

Nosso principal lema é que “O Mundo Tem Que Ser Bom Para Todos”. Por isso, procuramos aplicar o conceito de sustentabilidade a todos os níveis, seja no relacionamento com nossos trabalhadores e fornecedores, através do pagamento justo por seus serviços, ou não utilização de matérias-primas que se originem de países conhecidos por suas práticas abusivas, primando pela valorização do trabalho artesanal e tecidos nacionais.  Seja no relacionamento com nossos clientes, através do desenvolvimento de peças de qualidade e preferência por tecidos naturais, seguindo sempre a política máxima do melhor custo/benefício, trazendo aos clientes o que há de melhor por um preço mais acessível.

 Nós somos vivos, por isso amamos cores, estampas e design inovadores. Queremos vestir mulheres contemporâneas, elegantes, fortes e interessantes que, atrás de todos os panos, tenham sempre uma história boa para contar.

Inovar, criar do início ao fim, essa é a nossa opção, por isso, apostamos desde o início também em uma loja OnLine. 

Vestir as mulheres brasileiras com estilo, criar moda para permear tanto o dia a dia quanto a noite, aliando beleza, design e conforto, é o jeito de ser da marca e seus parceiros.

 

Letícia Abreu

Fundadora da marca, é estilista, empresária, advogada, mulher, esposa e mãe. Traduz muito bem a multifuncionalidade que existe na modernidade. Teve seu primeiro breve contato com o mundo da moda na confecção de sua família durante a adolescência. Tendo após isso optado pela carreira jurídica. Retornou ao ramo da moda em 2011 quando iniciou uma confecção fornecedora de roupas para diversas marcas do Rio de Janeiro, entre elas:  Dress To, Shop 126, Maria Filó, Folic... Com essa experiência enxergou uma oportunidade no mercado: criar um luxo acessível, com eco-desenvolvimento e moda. Com essa premissa, fundou no começo desse ano a Grège.